top of page

Já Lembrou que é Corpo Hoje?

Por Bruno Pasquarelli




Olá, esse é meu primeiro texto aqui.

A missão de escrever essa crônica me foi dada por um amigo cheio de propósito e solidariedade, que construiu um espaço para que outros/as colegas escritores/as possam colaborar com todos.


Nos conhecemos na faculdade, estudamos no Centro de Educação Física e Esportes da Universidade Estadual de Londrina. Então, o que nos uniu e o que me traz aqui é o Esporte, a Educação Física, o movimento do corpo humano. Por isso, esse tema sempre foi o primeiro da lista para começar minha participação por aqui.


Andei por muitos caminhos na Educação Física, conheci o corpo por sua física-objetiva: pela anatomia, bioquímica, fisiologia; também por sua expressão: no esporte, na dança, na luta, nos jogos e na arte; e por sua física-subjetiva: estudando sua energia, sua correspondência holística e sua manifestação espiritual. O que não encontrei na ciência do ocidente que aprendi na Universidade, busquei na ciência do oriente, enquanto estive imerso por anos no yoga. Sendo assim, gostaria de iniciar essa interação com o/a leitor/a dentro deste tema no qual sou e serei um eterno estudante.


Não há uma forma certa de começar e nem de conhecer as/os leitoras/es, senão fazendo perguntas, incitando à reflexão. Então, vamos começar…

Quantas vezes você trocou de roupa essa semana?

E quantos pares e tipos de calçados teve nos últimos 5 anos?

E quantas vezes trocou as peças do seu guarda-roupa nos últimos 10 anos?

Quantas vezes trocou de celular nos últimos 7 anos?

Quantas vezes trocou de grupo, amigos mais próximos ou relacionamento nas últimas duas décadas?

Quantas vezes seu gosto mudou com relação a comidas, lugares, séries, músicas, etc.?

Nem te conheço, mas sei que já mudou muito, viveu muitas fases, trocou muitas coisas, pensamentos e paradigmas. Estou certo?!

Só mais uma pergunta:

Quantas vezes trocou de corpo, desde quando se percebe nesse tempo todo da sua vida até hoje?

Nunca, não é?


Pois é… o corpo não é um objeto ou bem material.

Não que seu corpo nunca tenha se modificado ao longo dos anos, mas nunca vivemos em outro corpo senão nesse o qual você lê, pensa e reflete nesse exato momento.

A principal ideia da minha área, a educação física, é compreender a "natureza", a "Physis", a consciência do organismo fundamental da vida, onde é a vida e sobre qual a mente sustenta a percepção da existência.

Para resumir esse meu cartão de visitas, pela primeira vez neste espaço e tomando seu tempo, direi algo simples:

Você mora o tempo todo no seu corpo, sobrevive dentro dele, sua carne é viva…

…e você não vai trocá-la, substituí-la por outra.

Ou já viu alguém começar a vida em um corpo e mudar para outro ao longo dos anos?

Para mim, a educação física é para perceber a nossa "casa" (corpo), conhecer o nosso "lar" (corpo), saber cuidar do si primordial (o corpo). E trocar de comportamentos quando alguma coisa já não serve mais.


Sabe aquela sensação de não querer mais usar aquela roupa, de precisar trocar de celular, de ter que comprar um novo par de tênis? 

Essas trocas conscientes, temos que ter também quando precisamos de um novo ciclo de sono, de alimentação, de movimento do corpo, de interações sociais de qualidade, ou quando temos que aprender uma nova habilidade ou resgatar alguma habilidade que anda um tanto esquecida.

Já que não vamos parar de morar no nosso corpo, é importante saber o que fazer com ele. Esse é o verdadeiro propósito da Educação Física para mim.

Não tenho dica e nem direção para concluir, somente deixar algumas outras reflexões que podem virar atitudes de conexão consigo e ajudar a lembrar que somos corpo e não vamos mudar isso até morrer.

Então leitor/a, pense:

Quantas vezes sentou no chão e abraçou os seus joelhos nos últimos tempos?

Há quanto tempo não encosta sua cabeça no ombro de alguém e descansa?

Há quanto tempo não se dá um beijo em qualquer parte do corpo?

E há quanto tempo não se joga um beijo olhando no espelho?

Faz tempo que não faz alguma arte manual, como escrever, pintar, tocar um instrumento, bordar, etc.?

Há quanto tempo não massageia sua panturrilha e o tendão do seu calcanhar para aliviar a tensão?

Há quanto tempo não abraça suas pernas e se alonga por alguns minutos?

Quantas vezes no último mês fechou os olhos e sentiu o ar entrar e sair do seu corpo?

Há quanto tempo não recebe uma massagem de alguém?

Faz tempo que não faz um exercício que deixa seu corpo cansado, porém leve e animado ao mesmo tempo?

Há quanto tempo não para, lembra e percebe que é corpo?


Temos que aceitar a nossa natureza, compreender o que somos. A conexão com o nosso corpo é um dos princípios para ter uma alma vibrante e uma vida mais leve e equilibrada.


Até a próxima…


41 visualizações

Commenti


bottom of page